NEYMAR TEM SUA IMAGEM CENSURADA POR TER SE DECLARADO CRISTÃO

A imagem de Neymar está censurada no mundo mulçumano por ser uma figura pública que se declarou cristã. 


Cartazes com a imagem do atacante brasileiro Neymar da Silva causou controvérsia na cidade sagrada de Meca, o que levou à sua retirada das ruas. As autoridades mulçumanas consideraram que a publicidade com a imagem de alguém que se auto proclamou um cristão viola a "santidade religiosa" da comunidade muçulmana. O McDonald imediatamente removeu os anúncios com a imagem do jogador do Barcelona do país e cogita fazer o mesmo em todos os países árabes. O líder mulçumano Othman Mali,  advertiu aos organismos relevantes a nunca mais repetirem essa situação no futuro, e que respeitem os sentimentos dos mulçumanos.


Os muçulmanos sempre na mesma, forçando outros a se adaptarem a sua cultura quando em seus paises e quando nos paises ocidentais contam com o beneplácito da esquerda e da igreja relativista para fazer o que lhes “dá na gana” sem se importar com nenhum sentimento alheio.

O Neymar não representa nenhum cristão além de si mesmo e seu testemunho constantemente vai contra sua própria confissão de fé, dito isso, a imagem do jogador não apela para nenhum sentimento Cristão como alegam os mulçumanos.

Para não "ferir" os sentimentos mulçumanos, a cadeia de restaurantes que tanbém gera empregos em paises árabes, foi politicamente correta e removeu todos os cartazes e demais materiais de propaganda com a imagem do Neymar. Depois de ter celebrado o título da Champions League 2015 em Berlin levando na cabeça uma faixa posta estava escrito "100% Jesus" a imagem do Neymar, em países árabes, escandaliza mais que a de Hitler.

O politiamente correto, essa censura à que se submete o McDonalds, é uma tirania que surgiu na década de 1980 como uma declaração espontânea de que idéias, expressões e comportamentos, legais juridicamente e baseados na liberdade de expressão e pensamento, deveriam ser punidos em um processo que manipula a massa coletiva através de propaganda. Quando a propaganda, usando de falsas informações, são declaradas publicamente como erradas, o politicamente correto se encarrega de incitar a perseguição através da multidão ignorante, que, além da condenação pública busca a repressão pelo Estado naquilo que condena. 


Desde que politicamente correto deu a todos os anticristãos “passe livres” e privilégios, a religião mulçumana deixou de ser alvo de qualquer forma de pensamento crítico, seja pela piedade ou falta dela, pelo bom testemunho ou escandalos, por contribuições à humanidade ou atos desumanos, para o bem o para o mau o islamismo está acima de qualquer julgamento. Como também acontece com os adeptos da homosexualidade, os mulçumanos são uma classe de gente privilegiada por estarem sempre acima da crítica e da lei.

Wesley Moreira