EXTREMISTAS ISLAMICOS INCENDEIAM BIBLIOTECA CRISTÃ DE 80.000 LIVROS NO LIBANO

Uma biblioteca cristã localizada na cidade libanesa de Trípoli foi intencionalmente incendiada na noite de sexta, após seu dono, um padre ortodoxo grego, ser falsamente acusado de escrever um artigo insultando o islã e o profeta Maomé.


Os criminosos atearam fogo à Biblioteca Saeh fundada em 1970 destruindo dois terços da coleção de 80 mil livros e 400 manuscritos raros, uma das mais antigas obras queimadas foi escrito em 1817 e possuia um valor estimado em $ 3.000, segundo informou a agência de notícias francesa France-Presse.



Uma fonte anônima disse que tornou-se claro mais tarde de que o padre não tinha nada a ver com o panfleto. Em uma entrevista à televisão libanesa o padre Surouj disse que perdoa os responsáveis e reza pela paz em Tripoli.

Onde quer que queimam livros, no final também queimarão seres humanos. 
~Heinrich Heine

O Daily Star do Líbano informou que "as equipes de defesa civil se esforçou para apagar as chamas", e chamaram o local atacado de "um das mais renomadas bibliotecas do Líbano." Até mesmo os líderes muçulmanos defenderam o padre contra a acusação de que ele tinha escrito um artigo anti- muçulmano. Salafista Sheikh Salem al- Rafei disse aos jornalistas que gostaria de ver as forças de segurança libanesas prender aqueles que incitaram o ataque incendiário.

O ex-chefe de Segurança Interna do Libano, Ashraf Rifi, avaliou que o ataque incendiário resultou de falsos rumores sobre um artigo do padre insultar o profeta Maomé e rejeitou as alegações contra o líder cristão. Centenas de cidadãos libaneses se manifestaram em apoio ao sacerdote , enquanto outros se ofereceram para tentar salvar livros e reconstruir a biblioteca.

Algumas das reações dos libaneses no twitter: