FILME 180 FAZ NÚMEROS DE ABORTISTAS CAIREM NOS EUA

Biblicamente falando, a melhor notícia do ano veio dos números da pesquisa Gallup que mostram que o número de pessoas que apoiam e aprovam o aborto caiu em 6% em relação aos anos anteriores.

Os índices pro abortos que subiam a cada ano, regados com dinheiro público desde a posse de Obama à 4 anos atrás, começaram a ceder. Ao Analizar o cenário americano e mundial onde o governo Obama, a midia, a ONU, as fundações milionárias como Ford and Rockefeller e ainda centenas de Ongs que estão a pleno vapor na promoção do aborto, a queda nos números de abortistas nos resultados da pesquisa é um milagre.

O filme 180 produzido pelo evangelista Ray Comfort é apontado pela maioria dos entrevistados como a grande mensagem que os fizeram mudar de ideia sobre o aborto. A confirmação vem do fato de que o filme de 33 minutos que foi lançado ano passado já é o filme mais visto de todos os tempos no Youtube. 

O engajamento de Ray Comfort e seus discípulos espalhados pelos Estados Unidos contra o aborto e pela pregação corpo a corpo do evangelho é algo nunca visto. O filme é apresentado em escolas, universidades, ginásios, igrejas, prefeituras e empresas por gente comum desejosa de ver o evangelho pregado. Mesmo sendo expulsos de colegios e universidades, xingados pelas ruas e parques e muitas vezes vaiados os seguidores de Ray são incansáveis. 

Ray é um evangelista de rua, um mestre em abordar pessoas e apresentar o evangelho de forma eficaz. Trazido da Nova Zelandia por David Wilkerson, foi logo apadrinhado pela 'velha guarda' do evangelismo americano, como Bill Bright, Billy Grahan e Josh McDowell. A habilidade de Ray para evangelizar pode ser apreciada no filme 180 cujo site já foi hackeado várias vezes por grupos anti-cristãos. 

Se você ainda não assitiu ao filme 180 esta é a sua chance. Assista e chame seus colegas de escola e amigos. Abra um refri, estoure uma pipoca e aproveite os 33 minutos que estão salvando a vida de milhões de bebêzinhos que tem direito à vida assim como você. 

Wesley Moreira